segunda-feira, dezembro 20

formspring.me

Ask me anything http://formspring.me/rafaelbribeiro

Problema

Faça aquilo, esqueça disso
É só da sua cabeça
Não existe mais caniço
É melhor que esqueça
Antes que se roa por isso

Cabeça

Uma lembrança morta
Um sentimento que não some
Uma rua torta
Um arrependimento que nunca dorme
Uma voz que me corta
Um sossego que não volta

O que quer comigo?

Se não se interessas pelo que digo
E nem me interessas o que diz
Cuide de seu próprio umbigo
Que eu cuido do meu nariz

Insônia

Enquanto os outros dormem, eu lembro
Enquanto os outros sonham, eu queimo
Em um inferno particular que não passa o tempo
Não por vontade mas porque eu teimo
Em não pregar os olhos por causa do sereno

Depressão

O rio de lágrimas secou a muitos anos
Hoje naquela seca depressão
Não corre nada se não danos
Ou será apenas impressão?

Cuspe pra cima

Roleta russa, cuspe pra cima
Das duas uma
Ou te ferra ou apenas cria clima
No pior caso menos uma.

Lembrança morta

Aqui jaz um momento
Ficarei em silêncio pelo finado
Que em seu movimento
Já passou e é passado
Cai na folha como argumento
Queria eu ter enterrado
Mas no fundo é sentimento
Acelero pela estrada
Agora não tenho mais nada
Fitando o retrovisor vejo
Ficaram dois amigos além
De um passado lá pra trás

A vida boêmia

A vida é justa porque todos morrem
Ainda bem que ninguém é imortal
E a felicidade dos que bebem
É só um porre no final
O que merece, não tem
O que enriquece, não faz
Se esquece com desdém
Mas no fim tanto faz

Aquele (a)

Se me bastasse um dia
Não teria uma vida toda
Se apenas sorria
É porque não esta pronta

A verdade

O que antes era cruel
Hoje é coitado
O que antes era fel
Me enoja de tão melado

Motivos

Só queria um motivo
Pra fingir ser emotivo
E poder fazer o que quero
Sem preocupar com o erro

Poemas de amor

Amor de família, amor de namorada
Amor daquilo que não pede nada
Só queria saber o que é amor
Se não a fuga de qualquer dor

Animal

Como um animal preso entre quatro paredes
Sinto dentro de mim uma raiva crescendo
Me isolo dentro de mim mesmo com medo
De causar tanto mal quanto a mim foi causado
Quem sabe um dia meu coração entende
O que até hoje eu não entendo.

domingo, dezembro 19

Só não desista

Vamos nao desanime
Desanimar é um crime
Não chore nem se vitime
Pois a vida é bela minha cara
E a vida é cara minha bela
só nao esqueça sua tara
e nem se cegue por ela

Duiu

De toda a essência
Cresce uma experiência
De toda amizade
Cresce uma felicidade
De toda frase
Nasce uma crase
Se todos fossemos iguais
Seriamos todos banais

quinta-feira, dezembro 16

Escolha

Escolha aquilo que te faz feliz
Ignore o fantasma que te assombra
Queira aquilo que agrade seu nariz
Sem ignorar aquilo que diz a sua sombra
Felicidade é conseguida por um triz
Mesmo que sua vida seja o que te cobra
Nunca deixe morrer essa força motriz
Que cria, que faz, que se desdobra

quarta-feira, dezembro 15

Crença sólida

Não existe nada pra temer se não aquilo que você imaginar que te da medo, você é seu próprio deus. Você é seu próprio diabo. Cultue sua vida, e verá frutos. Cultue outra vida, e terá de esperá-la. Seja qual e como for, faça agora aquilo que sente vontade, e seja livre em todos os sentidos. Que a resposta pra pergunta de "se existe" não cabe a nós entender, se coubesse, já haveríamos encontrado a muito tempo. Se existe, ele é misericordioso e perdoará os medíocres humanos que somos. Então porque temer o inferno? Se este medo nada mais é que o medo disfarçado da morte.

Quando o sol nascer

Quando o sol nascer...
De todos meus problemas
Vou conseguir esquecer
Sem criar dilemas
Eu vou conseguir viver

segunda-feira, dezembro 13

E quem disse?

E quem disse que eu quero ser escritor?
E quem disse que eu quero sentir essa dor?
E quem disse que a vida  é pros fracos?
E quem disse que não quero juntar meus cacos?
E quem disse...

Sensação

Golpe de sorte
Do que vê a morte
Entende que a vida
É pra ser sentida

Telepatia

Eu escrevo daqui.
Você analisa,
Entende e frisa.

Novo dia

Amanhece um novo dia
Nesta cidade fria
Da garoa de ironia
E de muita quase-família

domingo, dezembro 12

Astrologia

Astro no mia,
porque não é gato.
Astro no guia,
porque não foi pago!
Se consigo é porque quero,
não paro nem considero.
As vezes eu erro
mas sempre com muito esmero.

Namasté

Se posso eu,
pode você.

O gigante

Era um gigante contente
Até que percebeu que toda sua gente
Estava encima de um planeta somente
E estavam em guerra constantemente
E ainda perguntam vigorosamente
Porque que o gigante não está sorridente!

O velho bode

  Acordei em meu quarto, vi o teto familiar, olhei o relógio e estava atrasado para o trabalho, levantei da cama e fui tomar banho, me aprontei rapidamente, enfiei um pão na boca e saí apressadamente de casa, depois de trancá-la.
  Saí pelas ruas estreitas da cidade cinza e sem natureza, com suas repetitivas árvores públicas e as ruas parecidas, até que em uma ruazinha, diria um beco, eu vi um bode. Eu tinha certeza de que era um bode! Tinha um quê estranho nele, parecia que me perturbava, mas o cheiro de podre me sufocava, ele me olhava diretamente nos olhos e de repente saiu em disparada.
  Não tive dúvida alguma, corri atrás dele, esqueci-me completamente do que estava fazendo, simplesmente me entreguei a procura daquele peculiar animal. Depois de correr algum tempo, por alguns becos estreitos aonde mal conseguia passar de tão estreitos, eu consegui alcançá-lo em um canto escuro e com um cheiro forte de podre, onde ele entrou em um buraco e sumiu.
  Já tinha ido tão longe que não ia desistir ali, por isso eu entrei no buraco, não sabia se me arrependeria disso, mas com toda certeza não iria deixar aquele bode fugir assim, o buraco era escuro e muito pequeno, me apertei dentro dele e acabei machucando os ombros e as costas. Depois de engatinhar como um bebê pela pequena toca, finalmente cheguei a um lugar aonde a altura era suficiente pra que eu tentasse rastejar pouco menos deitado, mas era escuro demais para enxergar.
  O buraco ia aumentando em diâmetro conforme ia me afundando. Não sei quanto tempo se passou lá dentro, mas minha roupa já estava rasgada e meus braços cansados. Finalmente cheguei a uma parte em que eu podia andar ereto, com certa dificuldade meio abaixado. Logo peguei a prática de andar por aqueles túneis estranhos. Até que andei totalmente ereto.  Comecei a correr o mais rápido que pude, e aprendi a fazê-lo sem olhar para onde ia, já que ainda estava basicamente cego pela escuridão do buraco.
  Corri até meus pulmões cansarem até que parei para respirar, o túnel era úmido e o cheiro de enxofre ficava mais forte, quase nauseante. Não podia voltar nem ficar parado, por isso continuei em frente até ver uma luz ao longe, um clarão muito forte. Tampei a luz com a mão porque me doíam os olhos, depois de tanto tempo em meio as trevas. No que olhei para aonde estava indo me dei conta de que o chão era feito de mármore.
  Era um corredor de mármore, bem iluminado por candelabros, o cheiro havia sumido e as paredes eram repletas de quadros de pessoas que desconheço. Olhei-me e estava vestindo formalmente- não sei como me troquei. No final tinha uma porta. Fui até ela com pressa. Agora estava trajado a rigor então não poderia correr. Eu não podia perder tempo, me apressei em entrar na sala que estava atrás dessa porta.
  Uma grande sala com as paredes de madeira. Havia muitos arquivos naquela sala,  parecia algum tipo de escritório, mas era um pouco escuro. O cheiro do bode se espalhava por todo o lugar. O bode estava sentado atrás de uma mesa, em uma luxuosa e enorme cadeira. O chão era feito de longas tábuas de madeira e as tábuas que ficavam entre a porta e a mesa eram vermelhas. A única luz que eu via era a da janela detrás do bode e isso dava a ele um aspecto sombrio, seus chifres faziam sombra até meus pés, seus cascos batiam apressados no chão fazendo um estrondo rítmico, no meio da sala.
  Havia uma mesa em sua frente, com duas cadeiras. Ele estava diferente, se parecia com uma enorme pessoa metade bode. O tronco humanóide vestia um terno listrado, sua outra parte eram pernas de bode compridas. Sentei-me na esquerda e ele me fitava calado, mas com um ar nervoso ele abriu um sorriso sinistro e disse com sua voz grossa:
 -O que você quer comigo?
  Eu engoli seco e respondi:
-Quero saber quem é você
  Ele disse:
-Sou o guardião
-Do que?
  Ele riu em um tom estranho, colocou a mão peluda debaixo da mesa e pegou um charuto, riscou um palito de fósforo e logo a sala toda estava impregnada com aquele cheiro de tabaco. Perguntou-me:
-O que você quer tanto comigo que me persegue? -com sua voz estranha e assoprou fumaça do charuto na minha cara olhando fundo nos meus olhos, cortando minha alma com aqueles olhos redondos.
-O que você guarda?- Tossi nervoso
  Ele bateu o charuto encima de um adorno na mesa escrito "Conhecimento", e não disse mais nada. Perguntei novamente, ele riu e disse sem pestanejar:
-Se você não entendeu da primeira vez, é porque é tolo- riu novamente de mim.
 Cansei-me daquilo e olhei bem para seus olhos e disse:
-Não preciso de você seu bode velho! Se já me disse tudo que havia para dizer é porque não tem nada pra me ensinar e isso tudo foi uma imensa perda de tempo. Farei com que eu sei muito melhor!
  Levantei e fui-me rumo à porta, o bode apagou o charuto na mesa com força e se levantou abruptamente, no mesmo momento em que toquei a maçaneta, ele me disse firme:
 -Nesse caso sente que precisamos conversar.
  Voltei e sentei-me novamente na cadeira, ele me olhou de alto à baixo e rosnou um resto de fumaça dos seus pulmões e disse:
-A arrogância não lhe ajudará em nada.
-Colherei aquilo que plantar e você não pode me ajudar calado.
 Ele pegou um fruto de dentro da gaveta, colocou encima da mesa, olhou para mim fixamente e disse em um tom mais ameno, mas ainda firme:
 -Se eu pudesse lhe ensinar, você iria realmente querer aprender?
  Empurrou o fruto para minha direção, eu olhei para aquilo, mas não conseguia ver direito o que era. A sombra do enorme caprino cobria toda a mesa. Ele completou dizendo:
-Não há volta. Se você realmente quer aquilo que eu guardo, coma essa fruta.
  Peguei-a e apalpei gentilmente, parecia uma ameixa, talvez um pêssego. Engoli seco. Estava com fome com todo aquele esforço. Dei a primeira dentada na fruta, ele começou a gargalhar. Sua risada começou a entrar em mim e a me deixar confuso e tonto. Fechei os olhos e tampei os ouvidos, aquilo tudo me doía e sem força para respirar.Sua risada me apertava. Ela entrava em meus ouvidos como se fossem agulhas e a dor logo tomou lugar do medo. O som se afastava lentamente, foi se tornando irreconhecível, até que parecia uma sirene. Acordei assustado, com a respiração rápida. Abri os olhos. Vi o teto familiar. Era meu quarto. Olhei para o lado e para o relógio. Estava atrasado para o trabalho.

sábado, dezembro 11

O destino

O destino colocou duas línguas afiadas,
Em nossas bocas caladas.
Entendemos sem usa-las,
Porque se não, iriam arranca-las.

O bigode

Lembro-me apenas de seu bigode,
Das fotos antigas de Leminski
Que se não fosse um bode,
Beberia um copo de whisky.

Movimento

Criatividade, momento
Movimento
Crio agora, no relento.

Vida urbana

Minhas preocupações díárias, meu trabalho.
Penso no meu salário, caralho.
Ouço ao longe uma ambulância
E lembro de um amigo que se foi,
Uma dose de Domus.
Privada, cabeça desesperada.
Se não fosse o Cronos,
Pra curar essas mentes cansadas.

O que é tatuagem?

O que se entende por tatuagem, é uma homenagem à imagem tatuada no corpo por algum motivo,então é uma maneira de demonstrar ao mundo como uma manifestação de algum sentimento interno para com aquela imagem.
Então um símbolo que fosse tatuado,seria com a intenção de fazer com que o corpo fosse protegido pela tatuagem com tal poder. Tatuagens religiosas são frequentes exatamente por isso. Nomes e imagens também são utilizadas para fins mais fúteis como o mero embelezamento de pele.
Quando usadas apenas pra atrair parceiros, são péssimas opções.Já que ficará ligada a tatuagem toda a experiência que será passada com estes. Salvo exceções de tatuagens e laços que duram o mesmo tempo, sem a utilização de métodos modernos de remoção altamente caros e tão dolorosos quanto o processo de tatuação.

Aí sim, cai uma cortina vermelha, e tudo continua....

A consciencia

Outro dia percebi um camarada,
que me disse algo em português,
"Eu nunca morro nessa vida,
Eu só perco a consciência,e acordo depois de 'uns' mês"

Auto-antropo-tabagofagismo

Fumo a mim mesmo,pelo cigarro.
Acho feio,acho graça,
tusso com o mesmo pigarro.
Vicio bobo de fumar.
Aquela vontade que nunca vai se acabar.

Quantos poemas?

E se um dia eu escrevesse
Mas nao tivesse ninguem pra ler
De que serviria, se não houvesse
Uma alma pra me compreender
Quantos poemas cabem em mim?
Mas antes quantos cabem em você?

Se houvesse motivo

Se houvesse motivo
Eu escreveria
Não um poema emotivo
Mas a cidade cobrira
Isso se houvesse motivo
Mas como não tem,
Só essas linhas me convém
Depois,uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

Nova era

Assisto mais um por do sol por uma janela fechada.
A espera de uma nova alvorada.
A espera de uma diva,
Que me traga a luz dourada.

Depois,uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

In'gri-shi

I hear voices
inside my head
I hear voices
and they are bad
I hear voices
and they drive me mad.

sexta-feira, dezembro 10

quinta-feira, dezembro 9

Pessoas

Se eu fosse outra pessoa,
Seria diferente, não faria o que Faria faria,
Ah se fosse outra pessoa.
Seria engraçado se eu fosse,
Porque eu não sei se fui ou se seria.


Depois,uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

terça-feira, dezembro 7

Ó lua

Se ao menos a lua ouvisse minha súplica
E mandasse pra mim o que peço
Pois ela é a única
Que ouve meu verso.

quarta-feira, dezembro 1

Oração a si

Que a justiça seja feita
e a sincera desculpa aceita.
Não cairei em tentações,
nem atacarei em insinuações.
Livrarei todo o mal do mundo,
não me tornarei um ser imundo.
Que não me fuja a razão,
que eu não esqueça de pedir perdão
Não me tornarei um pesar,
minhas chances não vou disperdiçar,
que a ansiedade não me tire a calma.
Limparei a minha alma,
para que o mundo não me feche as portas,
Não andarei em linhas tortas,
Que seja assim,
Amim

terça-feira, novembro 23

40 dias

Do primeiro ao vigésimo, não aconteceu nada.
Depois, repetiu-se o processo até o trigésimo dia.
Então novamente até o quadragésimo dia.
Quando menos se esperava, no ultimo dia,
Nada aconteceu.
Depois,uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

domingo, novembro 14

Valor da mente

Quanto vale um pensamento?
Um pensamento vale o quanto ele pode ser aplicado no mundo físico. Seja um plano, quão grande e quão real  ele vai acabar por ser realizado, quantas pessoas serão afetadas por aquilo. Seja um sentimento quanto ele afeta o estado de espírito do seu pensador.
Mas como medir isso?
Cada um sabe o que é um grande amor ou um amor de verão, qual a diferença? é o tempo que se passa dentro daquele sentimento, envolto seja por um amor ou por um ódio ou por uma simples tristeza, que nada mais é do que uma linha de raciocínio em que se tem problemas com o que ela diz, mas qual o melhor jeito de tratar se não confrontar o medo de espada e escudo?
Depois,uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

sábado, novembro 6

O real

Tudo começa com um pensamento,desse pensamento surge outro que lhe dá continuidade, daí aparece uma linha de raciocínio, que leva a uma ação. A ação tem de ser concreta, para que o pensamento se concretize no mundo físico e deixe de ser apenas um devaneio irreal.
O Trabalho é uma manifestação física de um desejo moderno de obter "dinheiro" ou comida; por se precisar de alimento se tem de trabalhar, sem as necessidades básicas sendo cobradas, diminuira muito nossa mão de obra na ativa.
O Amor é uma manifestação física de uma linha de raciocínio em relação ao outro, fazendo real o pensamento de carinho pelo outro, seja em palavras ou em carícias ou em olhares.
O Ódio é uma manifestação física de uma incompreensão do outro, um não entendimento tão grande que gera uma repulsa à razão, aonde apenas um pensamento pode afetar o curso de muitas ações, "Não gosto daquela pessoa", depois disso todos os pensamentos são inconscientemente rotulados, julgando cada ação.
Depois da manifestação, vem a consequência, que é a rebatida do universo,é bem simples um soco na parede e uma força será aplicada de mesmo tamanho em sua mão, pela parede. Um pensamento de tristeza fará de você tão triste quanto for esse pensamento.
Mas quanto vale um pensamento?

sexta-feira, outubro 29

Caminh'antes

Calado sigo, andarilho
De costas para o passado
E do lado do trilho

Olhai o arranjo das letras do campo

    Olho pra dentro e mim vejo um mundo de possibilidades e infindaveis potenciais.Olho para o outro e vejo outro mundo completamente diferente do meu, vejo em cada um uma infinidade de possibilidades que me escaparam pelos dedos, que eu mesmo doei ao próximo de bom grado e de oportunidades que me foram escondidas, assim como lhe foram escondidas algumas.
    No fundo dos olhos é que se vê o pesar das decisões mal tomadas, dos dias e das noites de insonia, dos cigarros podres que se fumou, das conversas mal acabadas e das dores que passaram mas um osso quebrado nunca mais fica igual o original.
    Das bocas juntas se forma a espuma, das mãos espalmadas juntas a oração mas dos olhares que se cruzam nascem sentimentos, frases, amores, até mesmo faíscas. Dos olhos vem a compreensão do mundo do outro, dos ponto de vista do outro os olhos são o que mostram pro cérebro como é o mundo

quinta-feira, outubro 28

Por um triz

Lembro da brasa que me queimou,
Do ferro quente que me marcou
Da tatuagem deixada pela cicatriz,
Da vida que vivo, por um triz
Saudade do tempo que passou,
E acaba, do mesmo jeito que começou

quarta-feira, outubro 20

Aquilo

Depois daquilo ter acontecido,
Não há fogo que me esquente,
Meus pés doloridos pelo caminho percorrido
Não há comida que me alimente,
Nem abraço que me console,
Do pó ao pó, das cinzas as cinzas
Do beijo ao escarro, nada que me revolte
Não carrego dentro de mim nem luz nem trevas,
Não conto mágoas, nem rogo pragas
Aquilo que importa é apenas sinceridade.

segunda-feira, outubro 18

Funções

    Cada indivíduo que nasce tem de passar um certo tempo aqui neste canto do universo, todos nós temos duas funções nesse mundo, uma função pessoal, de sentir e descobrir, e a função de expressar sentimentos e divulgar as conclusões que se tiraram das experiências.
     A pessoal, é ininterrupta, não pode ser interrompida nunca, sempre se sente, em paz, triste, feliz, enfurecido com dor de cabeça.O sentir é um dos verbos mais utilizados, mesmo que escondido indiretamente empregado ou facultativamente excluido.
      A segunda é muito importante, afinal além de nos esquecermos, as vezes esquecemos de expressar o que sentimos ou de dividir a hóstia do conhecimento com o próximo, algumas pessoas tentam diminuir ou silenciar o que lhe é de direito, que é expressar o que sua mente tem para oferecer para o mundo.
     Com todas as letras, o ser humano sem dúvida é unico, cada um desses auto proclamantes homo que axa que sapiens, e nenhum outro tem o direito de silenciar uma boca, seja por ela dizer demais, afinal não se pode dizer muito, apenas ter-se muito pra falar.



Depois,uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

Malabarismo

Joga o tempo, voa minuto
Cai a noite, vira dia
Gira o mundo e cai no chão.

Depois,uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

sábado, outubro 9

Chá de se ler

poesia de xícara
dois dedos de prosa,
um gole de leite
e um cubo de açúcar pra adoçar.

quinta-feira, setembro 30

Devaneio

Se a vida fosse prosa, coitado de seu narrador.

domingo, setembro 26

Insegurança

Insegurança de amar, de viver,
Insegurança de pensar e de ser,
Medo de ser manipulado,
Apenas para não admitir estar errado,
Inocência ou falta de coerência,
Se aprende apenas com a vivência,
Que as vezes, é melhor arriscar
Do que a si mesmo, enganar.

Pulsos

Batem forte os corações
Dos que vivem aos tropeções
Dos que julgam pela mão,
Dos que ferem em vão,
Dos que pensam em botões,
Dos presos de suas prisões.

sábado, setembro 25

Uma mulher

Fecho os olhos,e com as mão sinto o cabelo macio e levemente bagunçado, desenho com as pontas de meus dedos os seus limites, tracejando o contorno alvo de sua existência, brincando com até onde vai aquele corpo quente.
Sorrio e sinto sua boca me beijando levemente meus lábios, depois sinto seu rosto delicado deitado em meu peito e seus cabelos longos me fazendo carinho involuntariamente junto de seus movimentos, que tentam  se aconchegar em mim.
Abro os olhos e podia jurar, mas não.Não estava lá, apenas não estava, me virei e fechei os olhos, senti seu corpo se apertando contra o meu, mas impaciente, dormi.
Depois disso o resto é resto,no final uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

sexta-feira, setembro 24

Salve Sol

Salve,sol!
Saudações grande pai de fogo
Saudações carinhosa mãe terra
Saudações brilhosa lua.
Salve o mundo de hoje, salve o boiadeiro.
Salve a fração de segundos do agora.
Salve você!

segunda-feira, setembro 20

O brilho

O brilho de uma lampâda fosforescente,
O brilho de uma moça sorridente,
O brilho do por do sol no oriente,
O que era mesmo que brilha?
O brilho escaldante do sol do meio dia
O sol em toda sua nobre exuberância,
O sol que queima tudo com sua mania,
Não,era outro brilho,mais inocente
O leve e gentil broto de uma semente,
Os ensinamentos de cigano vidente,
O comfortante brilho de um sol nascente.
Sim, era esse brilho, é claro.



Enquanto

O tempo passa,
O paciente espera,
O rico gasta,
Enquanto o tempo passa,
O imperador impera,
E o palhaço faz graça.

segunda-feira, setembro 13

A Grande piada.

[Um homem entra no consultório muito triste e confessa estar deprimido...]
O que representa o riso?O riso é a forma mais simples e sincera de se manifestar felicidade, do riso vem muita coisa, vem a sensação de se estar a vontade, aquela memória de um riso inocente da criança e é desse contato com a criança interior que nasce o palhaço.
O palhaço é apenas uma pessoa com uma mascara vermelha no nariz, mas ao mesmo tempo é tão diferente do usual tão distante do cotidiano, que é risível a chance de que ele conseguisse se adaptar a um mundo como o nosso.O arlequim é o exagero do cômico, beira o chato, mas ao mesmo tempo é impossível gritar com um palhaço enquanto ele faz uma brincadeira, seja qual for.
Além de tudo o bufão é uma criança, é um adulto que finge ser criança e que para isso toma da platéia toda a atenção fazendo do Riso uma onda que passa por todos banhando-os com felicidade e descontração.
O mascarado mostra pro mundo aquilo que o ator de dentro dele gostaria de mostrar, ou seja é a crítica ao cotidiano, ao porque das coisas serem como são, o bufão não é só aquele que ri de tudo, é o que faz os outros rirem,rirem da situação ou do ridículo, afinal uma pessoa se dignando a usar um traje muito fora do padrão, absurdamente exclamativo, fazendo diversas coisas sem sentido apenas para a diversão alheia.
Os zombeteiros são tão importantes no nosso mundo, que até em hospitais eles criam uma mística dos doutores da alegria, é provado que ao esquecerem suas enfermidades os doentes se recuperam mais rápido, seja por auto sugestão ou não, o efeito placebo sempre foi funcional.
O folião é uma pessoa que percebe que o ridículo não existe, e que mostra para os outros para que também possam entender que todos somos palhaços, afinal os que presenciam a cena sabem que dentro da fantasia existe uma pessoa que talvez não tenha nada a ver com aquela forma cômica, por assim dizer e portanto aprendem que não existe mal nenhum no que antes era quase impensável.
[...e o médico respondeu: "Já sei o que pode fazer, tire um dia de folga, e vá até o circo da cidade, lá tem um palhaço chamado Pagliacci, o maior palhaço do mundo, ele o fará rir com certeza!", exclamou o médico convicto, então o paciente respondeu com um pesar na voz: "Mas doutor, eu sou o pagliacci...]

Depois disso, ótima piada todos riem.

quinta-feira, agosto 26

Ato IV - A loucura

"Enquanto torço meus neuronios por uma resposta, busco dentro de mim algo que não encontro.As paredes dessa jaula irão rever  minha insanidade, gritarei mentalmente para que se escute o eco de meus pensamentos em minha voz, a loucura é constantemente mutável, mudando a cada situação apenas pra permanecer viva.
Nos ombros carrego o peso de minha vontade e as mágoas que me atormentam, de toda essa brilhante escuridão existe força pra seguir adiante?Sim, sempre existe força tem que existir um pouco mais certo?
Nessas frases que profecio o que para muitos é uma loucura, mas para mim é a realidade, envolto em fantasias doidas e devaneios sem sentido, do fundo do meu ser existe apenas uma verdade que o tempo não apagará.
E se lhe importas apenas que me cale, me calarei e não serei mais um problema, apenas a sua solução.Se isso lhe dará calma."
Disse o interno do manicomio um dia para o guarda ao agarrar-lhe o braço, eu vi com esses olhos, e juro que tentei entender o porque, mas depois daquilo ele nunca mais falou, se comportava normalmente, comia bem, fazia exercicios.Nem mais sinais de esquizofrenia apresentou, suponho que apenas se cansou de sua realidade, deve ter esquecido o prazer em ser o que era, se havia prazer, se não havia...
O que nos preocupou quanto a sanidade dele, mas depois me preocupei com a minha...

quinta-feira, agosto 5

Agora e depois e depois e depois.....e depois?

Tudo começa com um estalo, um clique como se tudo se encaixasse, como se o vento parasse o tempo parasse, até a terra porque você percebe que em uma fração de segundos você conseguiu pensar à frente, imaginando que seria seu proximo pensamento.
Uma gama imensa de possibilidades, todas tão irreais quanto possíveis, o céu poderia entrar em chamas;sua pele poderia virar marshmallow  ou o chão podia ser feito de penas brancas, mas de todas essas possibilidades apenas uma pode se resolver. Afinal se o céu for azul ele não pode ser rosa-choque.
Quando se joga uma moeda pro alto é possivel que ela caia de pé, mas a chance é bem pequena, mas antes que ela caia é completamente impossível dizer se ela vai cair cara ou coroa ou de pé ou se desintegrar no ar e virar um monte de pó.
Antes de se tomar qualquer ação, não tem como se saber o que resultara dela exatamente a menos que se tenha tentado aquilo para ver a consequência.É quase inacreditavel pensar que dentro de um único dia  existe tempo o suficiente para que muitas ações sejam tomadas tornando basicamente impossivel prever o final exato de qualquer evento seja ele qual for que você esteja analisando.
Quando se trata de pessoas existe um fator caótico que é a vontade, o livre-arbítrio, é o desejo do ser de fazer alguma determinada coisa.Por exemplo: Dois amigos se encontram na praça de muito tempo e um se cumprimenta dizendo: "Até onde vamos?", porque eles podem tomar qualquer rumo de qualquer conversa que eles desejarem, então podem entrar em tópicos dificeis como fisica quantica ou simples como o cotidiano.
Depois disso o resto é historia,no final uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

quarta-feira, agosto 4

O prisioneiro e sua prisões.

Eu sou o prisioneiro,prisioneiro do nome que me der ou do nome que eu me apresentar.Todos somos prisioneiros de um plano existencial,de uma condição, de um legado, de um destino e de um passado.
Temos todos Direitos e somos prisioneiros deles pelos grilhões dos Deveres, prisioneiros além de tudo das nossas escolhas. Todas as prisões não necessariamente são ruins mas todas te mantem preso.
Em liberdade sou prisioneiro dela, não podendo retornar ao cárcere que a tanto fui acostumado, depois de tomar uma decisão não podemos voltar atras dela portanto somos prisioneiros além de tudo do tempo.
Prisioneiros do nosso ponto de vista: baseado em passado, epoca cronologica e o meio de criação. Prisões, semi-fechadas, semi-abertas, liberdade todas se auto-excluem tirando a liberadde de se escolher elas, claro afinal quem trocaria ser livre pelo cárcere?
A questão é até onde temos liberdade dentro da liberdade.Somos todos prisioneiros em liberdade, esperando o cárcere eminente por qualquer que seja o motivo legal, criminal psicologico, rotineiro,incerto,oculto,confuso ou simples.
Depois disso cai uma cortina vermelha e ninguém pode sair das cadeiras sem que tenham aplaudido o suficiente, ou não.

quinta-feira, abril 15

Oração ao dia que se vai

Começo com um adeus, antes que seja tarde, afinal mais um entre tantos outros!Hoje vai  deixar saudade tenho certeza.Vai, mas vai cedo, mesmo que tenha feito de tudo para espichar um pouco mais você, Hoje. Ontem pensei em você, Hoje, mas não tanto quanto penso hoje no Amanhã, que me intriga mais que tudo, já que nunca vi como o Amanhã realmente é bonito, afinal ele é Ontem e Hoje juntos no seu maximo!
Amanhã será outro dia totalmente diferente, não serei o mesmo, nem esperarei desse dia que seja o mesmo de hoje,amanhã se mostrara mais próximo do futuro que hoje, um passo mais perto da felicidade, do fim, do início.
Do eterno recomeço.
Comecei com um adeus, mas já é tarde, não tenho mais o que lhe dizer Hoje, já que você não está mais aqui para ouvir, você já se foi, Amanhã quero que me ouça. tenho muito pra dizer, você pode fazer tudo Amanhã! mas tenho que começar agora! Um novo passo, mas agora! se deixar para tomar a iniciativa no dia que segue este então nunca tomarei esta iniciativa.
Ontem me ensinou o que precisei para viver neste dia de Hoje e assim poder criar o Amanhã que me agrade.
Peço de você, Amanhã que seja sutil, memorável, deixe saudades, e que me faça  sentir vontade de seguir em frente, agradeço de antemão amanhã!
Mas não me preocuparei com o Amanhã neste dia, é inútil, mas não me esquecerei que ele existe, porque percebendo o Hoje com o que aprendi Ontem faço do meu Amanhã tudo o que planejar.

Obrigado Ontem por tudo que me ensinou, obrigado Hoje por tantas oportunidades e obrigado Amanhã por me ouvir.

quarta-feira, março 17

Ato III- O Salto

O que é o amor? Amor é se abrir para o outro, um movimento quase estúpido, um movimento de total penetração no sentido de que você se deixa ser buscado pelo outro, e ao se explicar para uma nova pessoa, você se entende cada vez melhor.
Mas O que o salto tem a ver com isso?Imagine duas pessoas, uma em cada altura, em sua próprio nível de pensamento (chamaremos assim). A altura que separa os dois é meramente ilusória mas suponhamos que seja quase um abismo, depois de tanta imaginação vamos a ação, um dos dois pula de braços e pernas esticados, como em um abraço para o outro segurar.
O salto é uma metáfora de fragilidade, mesmo se tendo a sensação de que se voa por um momento, aquela sensação maravilhosa de que tudo esta bem, que tudo é perfeito e não importa o errado apenas o certo, aquela frágil sensação.
A frágil sensação pode ser tirada com apenas um fato, o chão, o desapontamento, a felicidade tem fim, tristeza não. Mas os seres humanos não se cansam de tentar, pulando de penhascos estúpidamente gigantes, para a morte certa para se despedaçar em 300 pedaços apenas pela sensação passageira de que se pode voar.
O amor é tão simples mas tão desumano as vezes que causa medo do salto. Mas é necessário...?
Ah,o salto. As vezes tão curto mas tão dolorido, as vezes tão longo mas quando o chão inevitável chega,estes longos costumam ser os mais dolorosos...Um péssimo e o outro pior.O chão não é terrível, caído você tem novamente o contato com o real e percebe coisas que precisa para que o próximo salto seja melhor
Um amor nunca é igual o outro, assim como os saltos, costumam ser mais longos cada vez.
Pena que isso me mostre que com o tempo o chão começa a demorar cada vez mais pra vir mas acaba machucando mais do que ensinando.


Depois disso o resto é historia,no final uma cortina vermelha de veludo cai e tudo continua como se nada tivesse acontecido.

E termina mais um ato, um grande abraço.
Rafael

quarta-feira, março 3

Ato II - A Mudança

Tanta coisa muda diariamente, estejamos de olhos abertos pra ver ou preocupados demais com outras coisas,é aquela velha historia as nuvens tem forma de tudo se você parar pra olha-las, é claro que mesmo assim não temos tempo pra parar e observar as nuvens durante todo o dia, mas o céu está constantemente mudando.
A mudança é necessária, sem ela a vida se torna repetitiva, é estranho mas quando existe uma mudança parece que ela sempre esteve lá só faltou um movimento pra que acontecesse.
O palhaço que escreve pede desculpas: "intromissão minha, queria só dizer qeu venho aqui escrever por que me sinto uma  pessoa diferente da de ontem, me sinto completo, como quando estou manuseando meus malabares, porém maior, acho que finalmente vejo uma harlequina, me desculpem a intromissão."
Escritos nessas linhas pequenas estão fragmentos de pensamentos que me levam a acreditar que mudança não é só uma constante da humanidade que está sempre em mudança seja para melhor ou pior,as pessoas individualmente mudam aos poucos se tornando mais e mais aquele modelo que elas seguem ou acreditam ou gostariam de ser.
É claro que não é tão simples, existem varias variáveis quando se tratando de felicidade interna ou global de uma população, a mudança leva a pontos de vista diferentes e pontos de vista diferentes levam a posicionamentos melhores de futuros posicionamentos.
Todos precisamos mudar seja partes pequenas, revisoes totais do ser e da visao de mundo que se tem.Quando estas acontecem são principalmente percebidas pelo proprio individuo.

Depois da mudança vem a calmaria e a estabilidade, depois cai uma cortininha de segunda qualidade com remendos por toda parte, não foi um grande espetáculo mas tenho felicidade em participar dele.
E termina mais um ato, um grande abraço.
Rafael

quinta-feira, fevereiro 18

Ato I - O Primeiro passo

É facil reclamar de como a vida se apresenta, de como é grande um muro, de como as pessoas não entendem, de como tudo poderia ser mais bonito e utópico; Difícil mesmo é manter uma postura vibrante e positiva, tentar resolver seus problemas, encurtar distancias e mirar alto.
Segundo passo.
Mas como manter uma atitude positiva?De onde vem a vontade de seguir em frente?Como toda boa resposta,basta um pouco de introspecção para ser descoberta.Essa vontade é nada mais nada menos do que uma expressão direta dos pensamentos projetados naquele momento.
Uma corrida numa rua qualquer a pé, se o pensamento na hora for negativo (nossa que cansaço, não aguento mais) então rapidamente seu corpo obedecera sua mente e acabará parando de correr, entretanto se o pensamento for positivo ou se a mente estiver quieta seu corpo não será desmotivado pelas barreiras criadas a partir de pensamento.
Terceiro passo.
Fácil é desistir de correr,criar barreiras negativas de pensamento para que não se consiga algo, muito fácil porem pouco prático já que desistindo não se chega muito longe.Mesmo que o esforço seja extenuante e pareça impossível  o ideal é que se tente o máximo possível, as vezes parece inútil ou desnecessário, mas uma mente quieta é melhor do que uma mente que repete algo que não ajuda.
Quarto passo.
Tudo que o corpo precisa no quesito força de vontade é de si mesmo e mais nada toda a força do mundo está dentro de cada ser humano, isso nos torna exatamente o que nós queremos, mesmo alguns gastando com esforços diferentes e as vezes até contra-producente, todos temos algo que somos bons, seja em malabarismo,trabalhar, tocar algum instrumento ou qualquer outro modo de passar o tempo.
Quinto passo,Muro.

Depois disso cai a cortina vermelha e o primeiro ato acaba. Com uma salva de palmas por educação e um sorriso amarelo

Abraço
Do palhaço que escreveu

quarta-feira, fevereiro 17

O outro lado do giro

O bastão em chamas girando, o cheiro característico de querosene, o barulho do fogo em rotação.Tudo é muito bonito dos olhos da platéia, até a fumaça preta faz parte do espetáculo, até mesmo os erros.Mas dos olhos do malabarista é bem diferente.
Um malabarista experiente sabe que a platéia não gosta de ver os infinitos truques que ele pode fazer mas que na verdade a platéia adora ver um erro, ver o bastão girando sem controle por alguns momentos e o medo toma suas mentes. Mesmo sabendo que o perigo é pequeno ninguém fica a vontade com duas bolas de fogo girando livremente, ainda mais quando elas resolvem rodar em direção a você.
Cada mínimo movimento deve ser primeiro pensado calculado e medido para caber no tempo em que o bastão fica no ar, um segundo a mais e ele sai do seu eixo e espirala para o chão.Contudo cada movimento feito sem erros cria uma sensação de conquista, uma sensação de que todo o treino valeu a pena mesmo que por alguns momentos.
Uma platéia boa é uma que nunca tenha visto o espetaculo antes, isso os deixa mais crédulos e inocentes, porém quanto mais crua é a platéia mais esforço é preciso para manter sua atenção na apresentação, mas nada que algumas manobras bonitas não resolvam.
Mesmo que a platéia aplauda e solte gargalhadas honestas do show de sinestesia, quando a madeira acerta o chão é que se vê os mais exigentes, mais invejosos e talvez os maiores apreciadores da arte abrirem aquele sorriso escondido, calado quase imperceptível quase que dizendo "Era só uma questão de tempo".Um gesto simples de inveja ou de superioridade falsa.Nesse simples ato é que se vê a natureza humana,no fundo não querem ver o truque dando certo, provavelmente já o conhecem, mas querem ver tudo dando errado,o malabares sair em espiral até o canto do picadeiro incendiando todo o circo.
Um espetáculo é feito pelos seus mais maravilhosos truques mas só é único pelos seus defeitos, ou seja por mais que o malabares gire, a graça mesmo está em rir de quando ele está parado, assim como quando ocorrem acidentes em corridas, é bem mais divertido ver um homem correndo de fogo invisível do que carros girando por um circuito ovalado.
Assim como todo bom palhaço a platéia gosta de ver o circo pegar fogo, de coisas dando errado. Mas em alguns circos é fácil de ver mágicos que usam disso para impressionar ainda mais com um truque talvez não tão grande, se parecer que a serra foi trocada e a assistente foi serrada ao meio de verdade então o espetaculo será de primeira linha.
Em uma analise mais a fundo o malabarista tem de se preocupar não só em fazer seu trabalho mas também em agradar o publico que o assiste e o motiva a ir para a frente, do que seria o malabarista sem sua platéia e o que a platéia assistiria sem o malabarista? Os dois lados da mesma moeda.

No fim do espetaculo só ficam algumas coisas: As lembranças do espetaculo, um palhaço cansado, uma platéia satisfeita e o cheiro do querosene. Depois disso algumas moedas são jogadas junto com elogios e a cortina vermelha cai sem que seja incendiada e alguns voltam pra casa com a certeza de que da próxima vez o malabarista vai pôr fogo no circo.

segunda-feira, fevereiro 15

O Salão de festas

Tudo começa com a música calma e constante que leva todos para um lugar distante, uma daquelas músicas que parece familiar, sem cantor, apenas os instrumentos dançando em harmonia com as pessoas no salão, tudo muito colorido e cheio de vida.
A festa parece estar simplesmente perfeita, sem nenhum problema. Porém o problema é que a festa não tem autonomia e quem dá o ambiente são as pessoas, nesse salão de festas só podem entrar mascarados, um baile de máscaras! Que divertido!
Cada pessoa dentro dessa festa está usando uma mascara diferente, mas como saber quem é quem no meio de tantas mascaras? Afinal uma pessoa poderia trocar sua mascara e assim parecer outra completamente diferente, contanto que se porte de maneira diferente certo?
Claro, todos usamos mascaras metaforicamente, mas o que essas mascaras dizem sobre as pessoas que as vestem? Tem que existir um motivo para um sujeito escolher uma mascara de coringa ao inves de uma de elefante, nada mais óbvio que isso. Mas se cada mascara diz um pouco sobre a pessoa que está vestindo ela, se uma pessoa tem várias mascaras portanto ao observarmos atentamente cada uma dessas mascaras é possível descobrir mais do que o proprio rosto da pessoa diz.
Como um espelho que reflete uma imagem virtual de um objeto real, as máscaras metafóricas refletem uma necessidade ou até mesmo uma vontade da pessoa se expressar, seja escondendo o seu rosto para assumir um papel ou tirando uma mascara da frente por um momento, toda troca de mascaras deixa o rosto do mascarado nú por alguns instantes e é nesse momento em que se pode ler as intenções de uma pessoa.
Entretanto nenhuma mascara é perfeita, é preciso dois buracos para os olhos.Mas o que esses buracos significam metaforicamente?Essas vazões nas mascaras nos mostram muito sobre a personalidade real, já que atrás da máscara está a face verdadeira, e são em ações mal pensadas , reações instintivas e palavras mal-medidas que se percebe quem realmente é a pessoa.
E depois de algum tempo as mascaras caem, todas, sem exceção  com ou sem maiores problemas mas sempre acabam caindo. Após suas quedas as mascaras nos revelam uma ultima coisa: A velocidade com a qual a pessoa troca de máscaras, porque isso mostra o quanto essa pessoa está acostumada a passar por situações aonde suas máscaras são derrubadas ou arrancadas a força.

Depois disso...são algumas taças de vinho, uma dança divertida, algumas risadas e quem sabe um final satisfatório e quem sabe algumas cotoveladas para os pouco afortunados.