quarta-feira, agosto 4

O prisioneiro e sua prisões.

Eu sou o prisioneiro,prisioneiro do nome que me der ou do nome que eu me apresentar.Todos somos prisioneiros de um plano existencial,de uma condição, de um legado, de um destino e de um passado.
Temos todos Direitos e somos prisioneiros deles pelos grilhões dos Deveres, prisioneiros além de tudo das nossas escolhas. Todas as prisões não necessariamente são ruins mas todas te mantem preso.
Em liberdade sou prisioneiro dela, não podendo retornar ao cárcere que a tanto fui acostumado, depois de tomar uma decisão não podemos voltar atras dela portanto somos prisioneiros além de tudo do tempo.
Prisioneiros do nosso ponto de vista: baseado em passado, epoca cronologica e o meio de criação. Prisões, semi-fechadas, semi-abertas, liberdade todas se auto-excluem tirando a liberadde de se escolher elas, claro afinal quem trocaria ser livre pelo cárcere?
A questão é até onde temos liberdade dentro da liberdade.Somos todos prisioneiros em liberdade, esperando o cárcere eminente por qualquer que seja o motivo legal, criminal psicologico, rotineiro,incerto,oculto,confuso ou simples.
Depois disso cai uma cortina vermelha e ninguém pode sair das cadeiras sem que tenham aplaudido o suficiente, ou não.

Um comentário:

  1. Prisioneiro eterno da prisão de criar prisões para mim e para outros, para todos e para ninguem.

    ResponderExcluir