segunda-feira, fevereiro 21

Coroa das trevas

fecho as cortinas
pra escuridão entrar
descanso minhas retinas
retornando ao meu lugar

na escuridão encontro a paz
visto a coroa das trevas
deixando o outro mundo pra tras
com suas víboras e feras

me sinto em casa nas sombras
pouco a pouco ficamos iguais
faço parte de suas dobras
não existo mais

existe apenas a escuridão
me fortalecendo na solidão
bebo do oceano da noite
esquecendo do mundo e seu açoite

minha casa sempre foram as trevas
em toda minha vida
nunca vi verdades mais belas
sem sombra de dúvida

eu e as trevas, agora 
seriamos sempre assim
da forma em que fomos
no começo e no fim

2 comentários:

  1. Que cômico, sempre tem alguém que "aplaude" ruim em todos os seus posts. Tenho a incerteza se são várias pessoas que lêem seus poemas e realmente não gostam ou se é apenas um indivíduo que deleita-se em denegrir a sua obra.

    Se dito cujo tivesse ao menos a desinibição ou coragem de fazer críticas construtivas...

    Hoje, limito-me a dizer isso.

    ResponderExcluir
  2. Devo dizer que não é sempre, "Taís" mas que deve ser algum desocupado com inveja, veio simplesmente com intenção de denegrir, se não teria escrito alguma critica. Além disso, se a vida fosse feita só pelos bem intencionados, eu diria que não teriamos cadeias nem hospícios.

    ResponderExcluir