quarta-feira, março 30

Urbanos Lobos

A cidade esfria
Nos sombrios cantos
Entre cabos e fios
Desabam em prantos

Sentimentos tolos
Cinzentos lobos
Cavando poços
Enterrando ossos

Dores gritantes
Semelhantes enterrados
Perdidos amantes
Pobres coitados

Condenados a vida
Criado pra morte
Esperança perdida
Entregues à sorte

A cidade cobra
Falta sobra
Somos todos
Urbanos lobos

Nenhum comentário:

Postar um comentário