segunda-feira, abril 18

Aonde está aquela resposta
que eu procurei pelos becos?
Aonde está aquele velho eu
que hoje é apenas eco?
Aonde?

Aonde estão meus amigos
que me disseram ser eternos?
Aonde está a saída daqui
que parece ser o inferno?
Aonde?!

Aonde está aquele lugar
que costuma ser meu canto?
Aonde está aquela vaidade
que curava o meu pranto?
Aonde?

Aonde está minha boca
que já não diz nada?
Aonde está a minha força
que se perdeu pela estrada?
Aonde?!

Aonde está aquela inocência
que hoje está perversa?
Aonde está tudo
que me fugiu tão depressa?
Aonde?!

Aonde está meu oasis
que floresce neste deserto?
Aonde está o meu sono
que me mantem desperto?
Aonde!?

Aonde está o meu corpo
que não este que visto agora?
Aonde está o meu rosto
que me cobrira outrora?
Aonde?


Aonde estou eu
que estou confuso?
Aonde está você
que me deixou obtuso?
Aonde?



Aonde está minha calma
que fugiu e me deixou assim?

Aonde está minha cabeça
que se perdeu enfim?
Aonde...?

Aonde está a felicidade
que fugiu rancorosa?
Aonde está a morte
que é sadicamente piedosa?
...aonde...

Um comentário:

  1. gostei muito disso:"Aonde está aquela vaidade
    que curava o meu pranto?"

    ResponderExcluir