segunda-feira, abril 11

Emoção de Nanquim

A tinta da poesia
No dia a dia
Perde sua alegria

A dor e a tinta
Como que pintam
De Nanquim

Negro como graxa
Das máquinas
Ou o fundo das pálpebras

Nada é tudo
Vazio profundo
Agudo e mudo

O escapismo
Do abismo
No ostracismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário