sexta-feira, abril 29

O espantalho

Sozinho no campo de trigo,
meu único amigo
era um corvo,
que dizia "Que estorvo!"

Minhas roupas surradas e
fitando a criatura alada
Ouço e absorvo
seu grasnado:"Estorvo!"

O meu companheiro
rodeava o dia inteiro
com seu sorriso torto
"Que estorvo! Estorvo!"

Eu não tinha destino,
fadado ao exílio
no meio do campo, absorto.
"Estorvo!"

Meus dias sem sentido
resumem-se a espantar meu amigo, e
ao longe seus grasnados tiram meu conforto
"Que estorvo!Estorvo!"

As vezes penso que ele me quer morto
quando olho o corvo,
grasnando meu castigo:
"Que grande amigo!".



E.A.P.

2 comentários:

  1. curti MUITO, e a sonoridade tá uma coisa bonita. o que é E.A.P?

    ResponderExcluir
  2. E.A.P. é uma homenagem ao homem com o poema mais lindo de corvo que eu já li em minha vida, Edgar Alan Poe.

    ResponderExcluir