domingo, julho 17

Fragmentos de alguém

Eu fui um dia importante.
Radiante, cheio de sorrisos,
tanto meus quanto dos outros.
Era aplaudidamente ingênuo,
de um dito talento brilhante.

Eu fui um dia, mas como
os dias são seguidos de noites.
Não existe nada mais claro
que o Eu-Dia vire
eu-noite.

Hoje, sou noite esquecida
entre tantas outras,
sou iluminado apenas por brasas de cigarro.
Pequenas pontas brilhantes perdidas
sob tanta escuridão sóbria.

Esclareço que como noite
não sou mais nem menos do que antes.
Não tenho a presunção de ser
todo aquele resplendor que não sou.
Não sou bom, nem ruim, sou noite.

2 comentários:

  1. você é jovem, nem deu tempo de ter sido "um dia importante", rs (a não ser que o eu-lírico não seja no caso você). sejamos aplaudidamente ingênuos (adorei isso) agora! (eu sei, isso é difícil de empreender...)

    ResponderExcluir