segunda-feira, agosto 1

Backspace


Eu ouço o último grito da madrugada,
O agonizante berro do hoje
Que morre para dar lugar ao amanhã.
Aquele tênue momento
Em que se transita de um dia para o outro,
11:59 – 00:00
Coltrane acompanha o grito com choros saxofônicos.
A melodia mancha tudo com um tom agudo.
Esta transição
Tem um quê de melancolia.
Na cidade tudo continua igual,
Mas esse dia...    (...)

só uma palhinha.

Um comentário: