sábado, junho 23

Para Louis


Eu vejo árvores carbonizadas, rosas atômicas também.
Vejo-as sendo comidas por mim e por você,
E penso comigo mesmo: “Que mundo maravilhoso”.

Eu vejo o céu cinza, e lembro que um dia via nuvens.
O dia negramente amaldiçoado, a noite iluminadas eletricamente,
E penso comigo mesmo: “Que mundo maravilhoso”.

As cores do arco íris tão corrosivas no céu
Também estão na cara dos transeuntes.
Vejo amigos apertando as mãos, dizendo: “Tudo bem?”.
Eles dizem, na verdade: “Tenho pressa”.

Ouço bebês sufocados com seus cordões umbilicais, assisto-os morrer.
Eles aprenderiam mais do que gostariam,
E penso comigo mesmo: “Que mundo maravilhoso”.

Um comentário: